Urina de 24 horas – Como colher para que ela serve?

urinalise
Clique e Compartilhe
  • 303
    Shares

A chamada urina de 24 horas é uma análise da urina muito utilizada por diversos médicos para avaliar o funcionamento dos rins e investigar algumas alterações urinárias.

Através dos resultados da urina de 24 horas é possível definir a taxa de filtração de sangue pelos rins, chamada de taxa de filtração glomerular, pesquisar a presença de proteínas na urina e identificar as concentrações na urina de vários sais minerais, entre eles, sódio, potássio, cálcio e fósforo.

Nos últimos anos, porém, o exame da urina de 24 horas tem perdido popularidade, principalmente entre os nefrologistas, por ser este um procedimento que causa alguma inconveniência de ser feito, já que obriga o paciente a coletar sua urina para um garrafão durante 24 horas ininterruptas.

Neste quadro abaixo temos o modo correto de colher a urina de 24 horas e, em seguida, quais são os objetivos deste exame e apontar suas vantagens e desvantagens.

COMO COLHER A URINA DE 24 HORASResultado de imagem para urina de 24 horas

Como os homens devem fazer?

Resultado de imagem para urina de 24 horas

Como as mulheres devem fazer?

Resultado de imagem para urina de 24 horas

Por que colher urina de 24 horas e não apenas 1 ou 2 horas? 

A urina de 24 horas é um exame solicitado para quantificar determinadas substâncias na urina. O EAS (urina tipo I) que é o exame de urina mais comumente solicitado, feito através de amostra, apenas detecta a presença ou não de determinadas substâncias, não sendo capaz de quantificá-las de modo acurado. Como a excreção de determinadas substâncias na urina varia muito dependendo da hora do dia, colher apenas uma amostra torna-se um exame muto falho e de difícil padronização. Quando se usa um longo período de tempo para a coleta, como 24 horas, essas variações naturais acabam sendo minimizadas.

Mais de 90% dos pedidos de urina de 24h são feitos para se avaliar duas situações:

1.) Clearance de creatinina: O clearance de creatinina é basicamente a taxa de filtração dos rins, ou seja, a medição de quantos mililitros de sangue os rins filtram por minuto. É o principal modo de avaliar a função renal.

2.) Proteinúria: chamamos de proteinúria a presença de proteínas na urina, fato que só ocorre quando os rins estão doentes. O EAS (urina tipo 1) é capaz de detectar a presença de proteínas na urina, mas não consegue quantificá-la com exatidão. Além das proteínas totais, a urina de 24h também pode dosar a albumina na urina, chamada de albuminúria.

A nossa urina ainda é composta por várias outras substâncias, entre elas: cálcio, sódio, amônia, ureia, oxalato, citrato, magnésio, fosfato, ácido úrico etc… Portanto, além da avaliação da função renal e da quantificação da proteinúria, a urina de 24 horas também pode ser usada para quantificar todas estas substâncias. Obviamente, nem todas estas dosagens apresentam relevância clínica. Na prática médica, as comumente solicitadas são:

3.) Sódio urinário – é um modo indireto de se avaliar a quantidade de sal que o paciente ingere. Em situações normais, a quantidade de sódio que sai na urina é semelhante a quantidade consumida ao longo do dia. Muito útil na:
– Cirrose;
– Hipertensão;
– Casos de edemas;

4.) Cálcio urinário – importante na avaliação dos pacientes com cálculo renal.

5.) Ácido úrico urinário – importante para os pacientes com gota e/ou ácido úrico elevados e para os pacientes com cálculo renal a base de ácido úrico.

6.) Citrato – é uma substância que inibe a formação de cálculos. Pacientes com citrato urinário baixo estão sujeitos a formarem pedras nos rins.

7) Oxalato – também importante na investigação das causas de formação dos cálculos renais.

8) Potássio – útil na investigação de algumas doenças dos túbulos renais

Problemas da coleta

A urina de 24 horas foi durante muitos anos o melhor e mais utilizado meio para se avaliar a função dos rins. Porém, devido às inerentes dificuldades em sua coleta e aos frequentes erros que esta ocasiona, tem sido cada vez menos pedida na prática médica, principalmente entre os nefrologistas, os especialistas em rins.

O fato é que grande parte dos pacientes não colhe a urina de 24 horas de modo correto. Uma urina mal colhida gera resultados errados que mais atrapalham do que ajudam a avaliação do médico. Um agravante está no fato de que uma considerável parte dos médicos não sabe reconhecer quando a urina está colhida de modo errado. Isto faz com que condutas sejam tomadas baseadas em resultados que não correspondem com a realidade.

Para saber se a urina foi realmente colhida durante as 24 horas, basta dividir o valor da creatinina urinária pelo peso do paciente. Por exemplo, se uma pessoa de 70 kg eliminou 1400 mg de creatinina em 24 horas, isto corresponde a 20 mg/kg.

Os valores normais são:
Homens 15 a 25 mg/kg
Mulheres 10 a 20 mg/kg

Valores abaixo ou acima destes indicam uma urina colhida de modo errado.

A urina de 24 horas nos dias de hoje

Atualmente já existem maneiras de se obter as mesmas informações da urina de 24h com exames mais simples. O cálculo da função renal, por exemplo, é atualmente feito com fórmulas matemáticas baseadas apenas na creatinina do sangue. A própria medição da proteinúria e da albuminúria também já pode ser feita de modo mais simples, apenas com uma amostra simples de urina.

A urina de 24 horas ainda é um exame útil naqueles pacientes que conseguem colhê-la corretamente. Porém, é um exame pouco confortável para o paciente e na maioria dos casos já não é mais preciso solicitá-la com frequência, já que é possível obter as mesmas informações com exames mais simples.

 

envie seu artigo ao Portal Biomédico

CLIQUE E SAIBA COMO

Author Details
Graduando em Biomedicina, formado em jornalismo, web designer, empreendedor, autodidata, administrador página Portal Biomédico no Facebook e o blog Portal.
3.7 (73.33%) 3 votes
  • 303
    Shares

Graduando em Biomedicina, formado em jornalismo, web designer, empreendedor, autodidata, administrador página Portal Biomédico no Facebook e o blog Portal.

CONTATO
close slider